18 de março de 2015

Línguas são fascinantes


Take it, take it.

Este é o lead de notícia recente do Estado de S. (por que nem ela nem a Folha usam o "ão"?) Paulo:
BAURU - "Melhor morrer de vodka (vodca) do que de tédio." A frase do poeta russo Vladimir Maiakóvski está entre as citações favoritas do estudante de Engenharia Elétrica Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, em seu perfil no Facebook. O jovem morreu após sofrer coma alcoólico durante festa organizada por alunos da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Bauru, no interior de São Paulo, no sábado, 28.
Nota: Apesar dos avançados mecanismos anticópia do jornal, eu fui capaz de burlá-los e postei este trecho do texto aqui, pois sou um hacker e não tenho medo das consequências desse ato de radical violação da propriedade intelectual da Estadão Corp.

Anyway, a notícia, que fala desse moleque que bebeu até morrer, como acontece de vez em quando, começa assim:
"Melhor morrer de vodka (vodca) do que de tédio."
Olha, na moral, vou ter que agradecer aqui à edição deste centenário jornal por ter colocado entre parênteses a tradução da misteriosa palavra "vodka". É "vodca".

Direto eu lia a palavra "vodka" e pensava "Nuss, que diabos é isso?", sem jamais ter minha dúvida esclarecida. Olhava-me no espelho diariamente, minha expressão cada vez mais decadente. "Ora, diabos! O que é esta infame 'vodka'?", eu me perguntava, enquanto andava pelo meu quarto em movimento circular, colocando os braços na minha frente, com as palmas viradas para o alto, em expressão de dúvida exasperante.

Mas finalmente a família brasileira pode dormir sossegada porque foi sanada a dúvida daqueles que não têm tempo para pagar 360 horas-aula de curso do idioma russo.

Vodka significa vodca. Who knew?

Me lembra um pouco de quando eu era moleque e li num gibi (caramba, lembra dessa palavra, "gibi"?) do Cebolinha que ele ia jogar "videogueime".

Nenhum comentário:

Postar um comentário